Análise Samsung Galaxy S8+

04 julho 2017
Análise Samsung Galaxy S8+

Olá mais uma vez! Se não ficaram satisfeitos com a análise do Samsung Galaxy S8 e queriam saber como se comportava o seu irmão maior, o Plus, digamos que vos...

Análise Samsung Galaxy S8

25 junho 2017
Análise Samsung Galaxy S8

Boas pessoal! Primeiro que tudo vamos notificar-vos que temos uma nova parceria no nosso website, pois agora podemos contar com a ajuda da Samsung para vos trazer análises de equipamentos...

Análise BQ Aquaris U Plus 3GB

25 janeiro 2017
Análise BQ Aquaris U Plus 3GB

Boas pessoal! Certamente que já tinham saudades de uma das nossas longas análises, sendo que hoje vos trazemos um novo smartphone da BQ! O smartphone que vos chega é o...

Análise Battlefield 4 [PC]

Com a chegada próxima das consolas de nova geração, temos também novidades no campo de guerra. A eterna guerra de Call Of Duty vs Battlefield prolonga-se com as novas iterações de cada um: o Call of Duty: Ghosts e o Battlefield 4. Hoje para análise, contudo, temos a versão para PC do shooter da EA, que, como sabem, foca-se bastante na componente do trabalho de equipa, sendo essa uma boa vertante tanto do Single Player como do brutal e enorme multiplayer online, a sua maior atracção!

 

 

A saga Battlefield já data desde à bastante tempo, mas foi com o Battlefield 3 que virou para si todas as atenções. Para além dos gráficos muito polidos, o facto de ter sido criado de raiz para a plataforma PC gerou toda uma grande onda de aceitação por parte da comunidade gamer PC. Mas nem por isso deixou de ser um sucesso nas consolas, devido ao multiplayer online completamente diferente de todo o resto, permitindo assim à saga Battlefield tomar as luzes da ribalta. Com o Battlefield 4 a EA e a DICE pretendem manter esse foco, pelo que não podem descurar da qualidade. Para além disso uma das grandes novidades deste Battlefield 4 são os cenários completamente destrutíveis, algo que iremos abordar um pouco mais à frente.

Começando por referir a campanha de um só jogador, tenho de dizer que é o usual das campanhas Battlefield. Apesar de ser uma boa introdução às mecânicas de squad, não tem uma história nem personagens memoráveis. O primeiro contacto na campanha é algo brusco, pois o jogador não percebe o que se passa, sendo que vai ter de jogar um flashback que permite compreender os acontecimentos anteriores. Nesta introdução o jogador é apresentado às mecânicas de focar o fogo, entre outras características desta série, como marcar os adversários.

Um facto interessante nesta campanha é o facto de as missões, tal e qual como o online, terem ranks e cada nossa acção nos valer pontos, que podem desbloquear armas, que ficam acessíveis nos pontos de escolha de arma presentes nos vários níveis, o que significa que podemos escolher aquela que nos é mais familiar. Outra novidade é a possibilidade de escolhermos quem a nossa “squad” quer atacar, através de um botão que nos permite fazer com que a nossa quad foque o fogo nesses mesmos oponentes.

Para além disso, também podemos utilizar os diversos meios de combate, desde tanques, aviões, entre outros, pelo que inicia o jogador a como melhor usar esses mesmos meios, conhecimento esse que depois se transpõe para o online. Temos também a completa destruição do ambiente de combate em algumas missões em que, tanques, por exemplo, destroem paredes de casas. Isto leva a um dinamismo em combate muito interessante.

Todos os mapas da campanha são bastante vastos, permitindo assim ao jogador uma amplitude enorme de abordagens à missão. De destaque os gráficos de uma missão, em que nos encontramos no meio duma tempestade, os efeitos são sublimes. Um ponto negativo é a inteligência artificial, pois a mesma deixa algo a desejar nalguns casos, em que os oponentes se movem para determinados locais, mesmo que os mesmo já se encontrem destruídos, devido à existência dessa possibilidade, deixando-os assim expostos aos nossos disparos.

Ainda assim, a campanha acaba muito cedo, contem portanto com cerca de 7 horas de jogo, ainda para mais termina com um sentido de inacabado, mas sem dúvida interessante de jogar, pois a mesma encontra-se cheia de ação!

Vamos passar agora para o melhor modo do Battlefield, o modo online! Como sempre, temos diversos modos de jogo, mas o mais bem conhecido é o Conquest e é aquele que domina a maior parte dos servidores online. Para além disso, temos as várias classes que podemos ser, em mapas gigantes, que parecem autênticos campos de guerra, podendo um máximo de 64 jogadores estarem presentes no mesmo. Isto leva a conflitos épicos, e inúmeras horas de diversão. Quer seja num avião, num tanque ou simplesmente a pé, temos diversos modos de nos divertir e torturar o inimigo. Para além disso, o sem fim de armas, garante que nunca nos iremos cansar, pois é sempre possível inovar! É garantido que devemos experimentar todos os modos de jogo, tendo assim muitas horas de jogo pela frente. Nada mais a dizer, para além do que é uma das melhores experiências online neste tipo de jogo!

 

Conclusão

Positivo

+ Gráficos

+ Multijogador

+ Dinamismo do Ambiente

Negativo

- Campanha pouco memorável

Preço de venda médio: 49,90 € em Portugal 

Apresentação: 9.5/10

Longevidade:9.5/10

Enredo: 7/10

Geral: 8.5/10

É verdade que este Battlefield 4 tem alguns problemas, tais como a sua campanha algo curta e algumas deficiências de AI. Ainda assim, temos neste Battlefield 4 horas intermináveis de diversão. Quer seja pela possibilidade de destruir tudo e mais alguma coisa, com C4’s, tanques, entre outras coisas. Quer seja pela possibilidade de ter 32 jogadores de cada fação a lutar por locais estratégicos. Quer seja pelas inúmeras armas e possibilidades de modificação de armas e classes. O que quero dizer é que o online transforma totalmente a longevidade deste jogo, para muito melhor. Assim sendo podemos passar horas e horas sem nunca sentirmos que estamos a jogar o mesmo jogo. Divirtam-se e será que nos iremos ver no campo de batalha? Eu espero que sim.

Por tudo isto, o Battlefield 4 é um jogo recomendado pelo InsideGeeks! 

Realtime website traffic tracker, online visitor stats and hit counter